quarta-feira, 29 de maio de 2024

ALEXANDRE DE MORAES DEIXA O TSE COMO UM "JEDI" CONTRA AS FAKE NEWS

   


    No cargo desde agosto de 2022, o ministro Alexandre "Xandão" de Moraes deixou nessa quarta-feira, 29, a presidência do Tribunal Superior Eleitoral como um juiz que liderou, nas eleições presidenciais, o combate às notícias falsas.
    No discurso de despedida do comando da corte, ele disse:
   “As resoluções e as decisões do Tribunal Superior Eleitoral trazem o que há de mais moderno no combate às fake news, às notícias fraudulentas, à desinformação”.
    O ministro também defendeu uma "regulamentação mínima" das redes sociais e afirmou:
    “Aqui no Brasil, nós mostramos que é possível uma reação a esse novo populismo digital extremista, que pretende solapar as bases da democracia. O Brasil saiu vencedor, a população brasileira saiu vencedora”.

JORNALISTA DIEGO SARZA É ABORDADO, EM SP, PELA POLÍCIA DE TARCÍSIO: "SEMELHANÇA" COM FORAGIDO NEGRO

  


    "O Brasil não é um país racista". Isso é o que diz a extrema-direita, apesar de ser formada por muitos (muitos!) racistas. Pois a polícia do governo ultraconservador de Tarcísio de Freitas (Republicanos), um direitão de carteirinha, abordou o jornalista e apresentador do UOL, Diego Sarza. Pelo fato de ele ser negro. 
    O jornalista contou como foi: "Eles procuravam uma pessoa negra, de cabelo cortado e um pouco mais forte. Eram as características que fizeram esses policiais me pararem na rua, abordarem e (me fazer) passar por esse constrangimento. Até que eu tive uma abordagem tranquila. Digo isso revoltado porque sei que muita gente apanha e até morre nesse tipo de abordagem, que chega em você apenas pela cor da pele."
   Diego foi abordado quando estava indo trabalhar no UOL, na capital paulista.
    Essa é a policia que oprime. Que aborda pessoas pela cor da pele, pelas roupas que usa, pelo calçado que veste, pelo carro que dirige.
   Sobre o assunto, o jornalista publicou um texto na rede social:

   






   












DANDO NOMES AOS BOIS

   


   Pelo desenho das bancadas, o presidente Lula (PT) deveria ter votações tranquilas no Congresso Nacional. Mas não é o que acontece. Cada sessão de parlamentares é como entrar no trem fantasma para o governo: Não se sabe o que vai acontecer nem quem vai aparecer.
    Confira a divisão entre governistas, opositores e "independentes". Primeiro na Câmara dos Deputados. Depois, no Senado.

           



(Dados e arte: UOL)



ALIADOS "ESFAQUEIAM" LULA PELA FRENTE, MESMO! ATÉ TU, BANCADA ALIADA?

    


    Terça-feira sombria para o governo em votações no Congresso Nacional. Quem se diz "amigo" (parece amigo só de rede social: é só a definição, porque nem conhece a pessoa...) na verdade é inimigo político. 
    O dito "centrão" que é, às claras, "extrema-direitão", só quer uma coisa do governo: Dinheiro para as emendas parlamentares. Aí, nesse combo, entram as votações que o governo "esperava" ("Santa inocência, Batman!") ganhar. 
    Mas, como diz Abelardo, meu porteiro amigo, o Planalto "tomou na tarraqueta" em pontos importantes:  Os ultraconservadores derrubaram o veto de Lula sobre a "saidinha" de presos; e manteve o veto de Bozo (quando era "presidente" - entre aspas, mesmo!) sobre fake news em massa. Ou seja, não considerar fake news crime! Absurdo(s) !!!
    Tudo teatro político tem um bastidor: Na história da "saidinha", a chamada "bancada da bala" se sentiria, digamos, "desconfortável" em votar a favor de Lula, já que, para muitos desses nobres parlamentares, "bandido bom é bandido morto". E eles se elegeram (e alguns são candidatos a prefeito...) vendendo essa ideia para o eleitorado/gado. Os eleitores deles compraram a ideia. Agora , essas pessoas, ficariam "p. da vida" se esses deputados/senadores não derrubassem o veto do presidente petista.
    A história das fake news: Essa é uma "linha de trabalho" da extrema-direita. As "fake news" viraram ferramentas dela. Se elege e se derruba governos mentindo, principalmente,  nas redes sociais. E o gabinete do ódio é especialista em criar fatos que não são verdadeiros. 
    Poisintão... em tese, na teoria, o governo Lula não deveria passar sufoco em votações. Com todos os acertos que o Planalto já fez (distribuindo ministérios, secretarias e estatais para partidos que passaram a ser "aliados") a base de "apoio" é de 378 parlamentares. A "oposição raiz" tem 98 cadeiras; e os "independentes" (independentes do que ou de quem cara pálida?) somam 37. Isso na Câmara.
    No Senado... Base do governo: 59. Oposição: 14. Independentes: 8.
    Esse levantamento é com dados do Data Folha.
    Aí, minha amiga/meu amigo, você me pergunta: "Mas com essa ampla vantagem, o governo não deveria ganhar facilmente qualquer votação?" Respondo: É aquilo que eu disse. Na teoria, sim! Mas quando entra na conta dinheiro, interesse eleitoral, comportamento social, sobrevivência política, aí quem "é" da base apoio, vira inimigo político.
    E todo mundo faz fila pra "esfaquear" politicamente Lula. Não pelas costas, mas pela frente, mesmo!
   

terça-feira, 28 de maio de 2024

DUCCI JÁ PODE CHAMAR LULA DE "COMPANHEIRO" OU AINDA É CEDO?

                                                                     


     A decisão é da executiva nacional do PT. Por 15 votos a 7, o Partido dos Trabalhadores vai apoiar a candidatura de Luciano Ducci (PSB) à Prefeitura de Curitiba. PV e PCdoB também vão juntos nessa.
    Com isso, o PT abre mão da candidatura própria. Mas a política é como a música do Metrô (já disse aqui nesse blog) "no balanço das horas tudo pode mudar". Claro que tem petista (que era pré-candidato) que não gostou nada disso. O deputados federal Zeca Dirceu não chegou até a afirmar que iria recorrer ao Diretório Nacional do partido pra tentar rever a decisão. 
    Mas, pelo jeito, a reclamação de Zeca vai ficar só na reclamação. Porque o presidente do PT do Paraná, deputado estadual  Arilson Chiorato, está entusiasmadão com a coligação e disse que deve buscar outros partidos pra compor uma frente de oposição.
    "Resta" ao PT se "contentar" em indicar o vice de Ducci? Parece que o pré-candidato a prefeito pensa diferente. Nos bastidores comenta-se que o "sonho de um dia de eleição" de Ducci seria ter o deputado estadual Goura (PDT) como vice. Precisa saber o que Goura pensa disso, porque ele mesmo tem se colocado como pré-candidato à Prefeitura de Curitiba.
    Como uma pessoa que incentiva o uso da bicicleta como meio de transporte, Goura, pelo jeito, não quer ir de carona na "bike" de Ducci.
    Poisintão... Luciano Ducci já pode chamar o Lula de "companheiro"?
       




BIBI, O BEBEDOR DE SANGUE PALESTINO

 

(charge: Jota Camelo)

LULA NÃO É SÍLVIO SANTOS PRA SAIR DIZENDO: "QUEM QUER DINHEIRO?", NO RIO GRANDE DO SUL

    


    Em todo processo que envolve dinheiro público (ou seja, de todos nós) é preciso um mínimo de burocracia. A liberação pode (e deve!) ser mais rápida em casos de catástrofes como as enchentes do Rio Grande do Sul. Mas, mesmo assim, é preciso uma justificativa, uma comprovação de uso dessa verba.
    O portal Sul 21 me informa que moradores de Porto Alegre enfrentam um problema grave (como se todos aqueles que estão enfrentando não sejam grave...): Estão tendo dificuldade pra receber o Auxílio Reconstrução do governo federal. Mas não por culpa do governo e sim pelo o que seria lentidão da Prefeitura da capital gaúcha. Muita gente que entra no site do programa para verificar se o dinheiro saiu - ou quando vai sair - recebe a mensagem: "CPF não cadastrado pela prefeitura. A prefeitura da cidade onde você mora não cadastrou sua família. Solicite o cadastro".
    A justificativa da Prefeitura: "Estamos trabalhando na normatização dos dados colhidos junto à população antes de submetê-los ao governo federal". O executivo municipal estimou mandar a primeira lista com cerca de 20 mil beneficiários até essa terça-feira, 28.
    Quase 40 mil famílias já estão cadastradas. É responsabilidade da Prefeitura mandar os dados para o governo federal. O auxílio é de R$ 5,1 mil por família.
    Essa lentidão no envio das informações das pessoas atingidas pelas enchentes beira à incompetência. Na medida em que os dados forem chegando à Brasília, o dinheiro vai saindo. Mas tem muitos bozonaristas gaiatos que estão afirmando: "Que burocracia que nada! Lula tem que mandar logo essa grana para os flagelados". Eles tentam emplacar essa "pegadinha" porque, se funciona, daqui a meio ano, um ano, vão dizer: "Impeachment do Lula! Ele não comprovou o gasto desses milhões de reais!".
    E vamos lembrar: Lula não é o Sílvio Santos que, naquele quadro famoso do programa dele, perguntava: "Quem quer dinheiro?" E saía distribuindo cédulas para as "colegas de trabalho".
    
    











segunda-feira, 27 de maio de 2024

EDUARDO DUSEK - COM PARKINSON - FALA DA DOENÇA E CANTA NO "ALTAS HORAS"

 

(fonte: YouTube)

CURITIBA: PIMENTEL COM PAULO MARTINS? A DIREITA SE ORGANIZA... E A OPOSIÇÃO É "CADA UM POR SI"?

    


    Por enquanto são sonhos de um dia de eleição. Fala-se, no momento, apenas  em pré-candidaturas. Os "acertos & conchavos" vão até 19 de julho. Porque. de acordo com a Justiça Eleitoral, os partidos terão de 20 de julho a 5 de agosto para realizar as convenções. E terão até 15 de agosto para o registro das candidaturas. 
    Nesse campo de elucubrações mentais por enquanto se fazem "projeções" de candidaturas que são "apostas". Mas, como diz a música do grupo Metrô, "no balanço das horas tudo pode mudar"... Por exemplo: A possível chapa Eduardo Pimentel (PSD) e Paulo Martins (PL), que deixaria Greca (PSD) magoadinho por não emplacar um nome de preferência dele para vice...  
    Bora lembrar que "aquecem à beira do gramado eleitoral", dois ex-governadores e ex-prefeitos, Beto Richa (PSDB) e Roberto Requião (Mobiliza); o ex-prefeito Luciano Ducci (PSB); o deputado estadual Ney Leprevost (União Brasil) que já disputou a Prefeitura; do PT, emergem dois deputados federais: Carol Dartora e Zeca Dirceu; Goura (PDT) também se coloca no páreo. 
    Minha amiga/meu amigo, pensemos: Se as coisas caminharem assim, a direita/extrema-direita já estaria com uma (possível) chapa formada. E a oposição? Vai ser na base do "cada um por si e Deus por todos" ? Que me perdoem os leitores e eleitores ateus...
    Se for assim, sem um entendimento mínimo entre opositores, o ratismo/bozonarismo ganha a eleição. Pimentel já ganhou, inclusive, o apoio de Dallagol, ex-deputado federal cassado pelo TSE. Deltan tem muita força no eleitor conservador.
    E não precisa ter bola de cristal pra "adivinhar" que vai ser no primeiro turno...

domingo, 26 de maio de 2024

NEWGARDEN VENCE AS 500 MILHAS DE INDIANÁPOLIS E FATURA CERCA DE 15 MILHÕES DE REAIS

   

                                                           



     Em 2 horas, 58 minutos e 49 segundos de prova, Josef Newgarden venceu as 500 Milhas de Indianápolis disputadas nesse domingo. É a segunda vitória consecutiva do piloto da Penske na Indy 500. 
    Pato O'Ward, da McLaren, ficou em segundo, e Dixon, da Ganassi, em terceiro lugar. Os brasileiros: Pietro Fittipaldi abandonou na primeira volta porque teve o carro atingido num acidente; e Helinho Castroneves terminou em vigésimo lugar.
    A chegada foi sensacional! A duas voltas da bandeirada final, o "pau já vinha torando" entre Newgarden e O'Ward. Faltando duas curvas, Newgarden passou, assumiu a ponta e venceu.
    O prêmio, segundo o GE, é de aproximadamente 3 milhões de dólares. Em torno de 15 milhões de reais. Óbvio que o piloto não embolsa toda essa grana. Ela é dividida com um pouco para cada integrante da equipe. Mas a maior fatia, claro, é do vencedor.
    E o campeão da prova bebe leite! Isso mesmo. Se na Fórmula 1 o ritual é beber e jogar champanhe nos outros corredores na comemoração, na Indy a tradição é beber... leite! Isso vem desde 1936. No dia 30 de maio daquele ano, Louis Meyer venceu as 500 Milhas ( o primeiro vencedor!) e, ao descer do carro, alguém lhe deu uma garrafa de leite para matar a sede. 
    A Associação dos Produtores de Leite de Indiana gostou do que viu e decidiu passar a patrocinar a prova, que não tem pódio (a única assim...) e coroa de flores só pro vencedor. Antes da corrida, os pilotos devem informar que tipo de leite eles querem tomar em caso de vitória: Integral, semidesnatado ou desnatado. 
    Josef Newgarden escolheu o leite integral.