quinta-feira, 31 de outubro de 2019

UM ABSURDO! EDUARDO BOLSONARO DIZ QUE "AI-5 PODE VOLTAR" SE A ESQUERDA RADICALIZAR

    A família Bolsonaro trata o Brasil como se fosse o quintal da casa dela: "Minha casa, minhas regras!". Em entrevista à jornalista Leda Nagle (que tem um canal no YouTube), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) demonstrou preocupação com os protestos no Chile (protestos da população que não aguenta mais o governo neoliberal de Sebástian Piñera, exemplo de boa administração para o presidente brasileiro) e disse que, no Brasil, se a esquerda "radicalizar", o AI-5 pode voltar. O Ato Institucional nº 5 foi um instrumento usado pela ditadura militar pra sufocar a democracia no Brasil.
    Um pouco de história só faz bem: "O AI-5 [ em 13.12.1968] resultou na perda de mandatos de parlamentares contrários aos militares, intervenções ordenadas pelo presidente nos municípios e estados e também na suspensão de quaisquer garantias constitucionais que eventualmente resultaram na institucionalização da tortura, comumente usada como instrumento pelo Estado."
    Assista a fala de Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair:



MAIA: "É REPUGNANTE"

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) se apressou em dizer que "a fala de Eduardo Bolsonaro é repugnante.Uma nação só é forte quando suas instituições são fortes. O Brasil é um estado democrático de direito e retornou à normalidade institucional desde 15 de março de 1985, quando a ditadura militar foi encerrada com a posse de um governo civil."



BOLSONARO: "QUEM FALA EM AI-5 ESTÁ SONHANDO"

A já conhecida "estratégia" do clã: Um bate e explica - ou outro é quem explica. Ou nem isso: em Brasília, ao ser perguntado pelos repórteres sobre a fala do filho dele, deu essa resposta: "Cobre dele [Eduardo]. Quem quer que seja que fale de AI-5 está sonhando. Está sonhando. Não quero nem ter notícia. Cobre você [jornalista] dele. Ele é independente, tem 35 anos.Se ele falou isso, que eu não estou sabendo, lamento".








Nenhum comentário:

Postar um comentário