segunda-feira, 25 de novembro de 2019

JORNALISTA FLAMENGUISTA DO GRUPO GLOBO É FILMADA CANTANDO MÚSICA DE INCENTIVO À VIOLÊNCIA

    A apresentadora Mariana Gross, da Globo Rio, foi gravada cantando uma música da torcida do Flamengo que faz apologia à violência contra a torcida do Vasco. Na letra, a "canção" diz: "Vou dar porrada na torcida vascaína". Detalhe é que a jornalista vive em um estado onde "impera" a violência e o trabalho dela é, justamente, todo dia na televisão, criticar, combater essa violência.
    Mariana parece ser uma moça da paz, responsável, profissional. Esse fato aconteceu em Lima, palco da final da Libertadores, onde ela estava de folga. A apresentadora, torcedora fanática do rubro-negro, assumiu o erro e disse: "De modo algum quis incentivar qualquer ato de violência contra quem quer que seja, nem ofender qualquer torcida. Reconheço que errei, e muito, ao repetir um refrão que deveria repudiar. Peço desculpas."
    Foi o caso de uma pessoa pública, que, em público, se deixou levar pela empolgação da torcida. Fica o aprendizado. Veja o vídeo que está no YouTube.


Sobre comportamento em público, me lembrei de um caso que envolveu um amigo jornalista. Eu ia passando em frente a um bar e, ele, esse colega, estava à mesa (na calçada) com outras pessoas, bebendo cerveja. A mesa já estava repleta de garrafas (todas vazias!). Cheguei e "dei um toque", discretamente, pra ele: "Será que não era legal manerar nesse tipo de comemoração?". Ele perguntou: "Por que? Não posso na minha folga?" Eu respondi: "Pode. Você faz o que quiser na sua folga. Mas veja a profissão que você escolheu. É jornalista, passa informações para o público, forma opiniões. Quer encher a cara, faz isso em um ambiente fechado, que não seja público. Alguém que te vê aqui podem comentar:'Sabe aquele jornalista que vive dizendo que bebida faz mal, que é perigoso beber e, depois, dirigir? Pois eu vi o cara tomando todas num boteco.'"  No dia seguinte esse colega me procurou e disse: "Acho que você tem razão. Exagerei e não estava medindo as consequências."







Nenhum comentário:

Postar um comentário